MINAS

Vigilância faz novo levantamento sobre infestação do Aedes aegypti, em Viçosa

Em 2020, Viçosa contabilizou 45 notificações de casos de dengue, com 22 confirmações. O mosquito Aedes aegypti é o principal transmissor dos vírus da dengue, zika e chikungunya.


Publicado em: 08/04/2021 às 16:00hs

Vigilância faz novo levantamento sobre infestação do Aedes aegypti, em Viçosa
Foto: Prefeitura de Viçosa

A Vigilância Ambiental da Prefeitura de Viçosa realizou o segundo Levantamento de Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2021. O resultado indica situação de baixo risco em Viçosa.

O Índice de Infestação Predial (IIP), para Aedes aegypti, registrado no município é de 0,6%. O Ministério da Saúde considera que até 0,9% o risco de infestação é baixo. De 1 a 3,9% a consideração é de médio risco e a situação passa a ser de alerta; igual ou superior a 4% já é considerado alto risco de epidemia.

O LIRAa do mês de março indicou que os bairros Vau-Açu, Marques, Novo Silvestre, João Brás, Recanto da Serra, Violeira, Barrinha, Amoras e Inácio Martins e os distritos de Silvestre, São José do Triunfo e Cachoeira de Santa Cruz são os que apresentam maior número de focos do mosquito Aedes aegypti. Com zero por cento de infestação estão os bairros Ramos e Romão dos Reis; a área central; os condomínios Otávio Pacheco, Jardim do Vale, Reserva Real e Monte Verde; a Vila Alves e o campus da UFV (Universidade Federal de Viçosa).

A Vigilância Ambiental divulgou como sendo sete o número de notificações de dengue de janeiro a março desse ano. Deste número, dois casos testaram positivo e cinco foram descartados. Também foi descartado um caso de Chikungunya. 

FORMAS DE COMBATE AO MOSQUITO

A Vigilância Ambiental reforça a necessidade de os moradores vistoriarem suas moradias de forma preventiva. Entre os objetos que servem de foco estão:

  • Caixas d`água ligadas à rede;
  • Lixos recicláveis, como plásticos e latas;
  • Pneus e outros materiais rodantes;
  • Bebedouros;
  • Vasos e lajes. 

Para combater o mosquito é necessário manter as caixas de água sempre fechadas; deixar os quintais sem lixo e sem entulho; limpar os ralos e protegê-los com tela; não deixar a água da chuva acumulada em recipientes; total atenção às piscinas, especialmente as de plástico; cuidar para que os bebedouros dos animais sejam limpos, periodicamente, com bucha e escova; manter as garrafas e baldes de cabeça para baixo, sempre; e encher de areia os potes e os vasos de plantas.